CriaTexto | Pare de chantagear o seu público com textos muito emocionais
16840
single,single-post,postid-16840,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.1,vc_responsive
startup-593341_960_720

04 out Pare de chantagear o seu público com textos muito emocionais

Escrever para marcas é uma responsabilidade gigante. Antes de sair disparando palavras piegas por aí é preciso pesquisar muito. Isso se você quiser ter uma comunicação significativa,  claro. Se esse é o caminho que você pretende seguir e no qual acredita, então vai ter de se preparar para resistir aos clichês do pensamento. Porque o seu cérebro vai fazer de tudo para lhe boicotar e lhe levar aos lugares aonde a maioria já chegou.

Na sua mente irão pipocar frases comuns, batidas, óbvias.  Você vai se sentir inútil por não conseguir chegar às frases que gostaria e que parecem já estar prontas em alguma outra dimensão, mas não chegam até você porque esbarram no imenso muro da sua ansiedade e, por que não, da sua falta de preparo ou de repertório.

Prepare-se para ralar o cérebro! A primeira ideia é sempre mais amadora do que a segunda e assim por diante. Você precisará se acostumar com frustrações seguidas. A ideia que não chega, o dicionário que não responde, o seu português que falha e o mundo que já inventou quase tudo.

Superados os obstáculos, volte àquela infinidade de informações que você precisa pesquisar. Público, mercado, concorrência, histórico da marca, o que ela pretende ser e o que o cliente está tentando dizer, mas não consegue dizer porque afinal quem é bom com as palavras é você. Se quiser escrever melhor, com os pés no chão e alma solta, entenda o contexto. 

Mas caso você queira não levar a sério tudo o que foi dito até aqui, lembre-se somente de uma coisa: as palavras têm peso e precisam ser usadas na medida certa da sua comunicação. Não tente enganar o seu público com textos emocionais demais. Fuja do sentimentalismo barato. Evite mexer em feridas desnecessariamente. Ao escrever, você se torna responsável  de alguma forma pela emoção do seu leitor. As pessoas podem até gostar do que você diz no início, mas se elas descobrirem que foram seduzidas por palavras cheias de emoções vazias, elas se sentirão ofendidas. E não vão mais voltar.

Seja real. Escrever para marcas é um ato responsabilidade com os sentimentos do seu público. Venda ideias com respeito! 

Sem Comentários

Adicione um comentário